"Dê-me uma selvageria cujo vislumbre nenhuma civilização seja capaz de suportar"

PRIMITIVISMO -- SABERES TRADICIONAIS -- SAÚDE NATURAL -- EVOLUÇÃO HUMANA



terça-feira, 27 de setembro de 2011

Serralhinha - Emilia fosbergii


 (Fonte: FloraSBS)

Erva comestível e medicinal (diurética e contra dores corporais e infecções nas vias respiratórias e urinárias). Bastante simpática e fácil de encontrar. Aproveito para mostrar como pode ser um ataque de fungo em uma planta, o qual se deve evitar ingerir.

Nome científico: Emilia fosbergii Nicolson
Nomes populares: Serralhinha, falsa-serralha, pincel, pincel-de-estudante, bela-emília, brocha, algodão-de-preá, serralha-brava.
Família: Asteraceae
Região de Origem: Ásia
Erva espontânea, "daninha" em cultivos, ereta, de 30 a 60 cm de altura. Flores vermelhas pequenas, em capítulos com "formato de pincel".
Atenção: não confundir com as "serralhas-verdadeiras", plantas parecidas, do gênero Sonchus (principalmente Sonchus oleraceus e S. asper), mas maiores, com látex e com flores maiores, amarelas. Algumas possuem espinhos ou hastes escuras, e as folhas são geralmente bem maiores e mais recortadas. Estas possuem outros usos medicinais e gosto amargo bem forte, não tão "simpático". Já as "emilias", ou serralhinhas, possuem gosto bem suave e apreciável em saladas ou receitas de refogados.

Porém, antes de apreciá-la, um cuidado especial: verifique se ela não está sobre ataque de fungos, como na foto abaixo. Eu sempre faço esta recomendação no final das postagens, porém esta planta me permite trazer um exemplo bastante didático e visível de como pode ser um ataque de fungo (claro que, dependendo das espécies do fungo e da planta, a cor e o formato serão diferentes):

Perceba o circulo amarelado (colônia de fungos) na folha.
Ingerir um desses pode dar certa dor de cabeça,
e, segundo alguns relatos, até mesmo alucinações leves.
(Foto de acervo pessoal)

Por fim, vamos à duas receitas de usos medicinais bem simples com esta planta:

Contra asma, bronquite, faringite, amigdalite, e também resfriados e dores corporais, coloque água fervente em uma xícara média contendo uma colher (sobremesa) de folhas picadas. Isso 2 vezes por dia.

Contra infecções nas vias urinárias, e servindo também como diurético: ferva, por 5 minutos, 1 colher (sopa) de raízes, folhas e flores picadas, em água suficiente para dar um copo, que deve ser tomado em dois tempos: metade pela manhã e metade à tarde, antes das 17hs (as referências são bastante específicas em alguns detalhes misteriosos).

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Referência:

Plantas Medicinais no Brasil – Nativas e Exóticas”, Harri Lorenzi e F. J. Abreu Matos. 2ª Edição, Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 2008.

Imagens:
http://sites.google.com/site/florasbs/asteraceae/bela-emilia
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

AVISOS GERAIS: Sempre que utilizar plantas comestíveis ou medicinais, certifique-se de colher a planta correta, e que a planta esteja saudável e tenha crescido em bom solo. Ou seja: evite plantas próximas a esgotos, lixo, sujeira, etc. Evite plantas com sinais de muitos ataques por insetos ou fungos. Não recomendo o uso de produtos agroquímicos sobre qualquer planta, sejam plantações ou populações selvagens, para qualquer finalidade. Para plantas medicinais comerciais, o uso de agrotóxicos é proibido. Leia atentamente as dicas, recomendações, e receitas. No mundo biológico todo detalhe é importante. Se tiver dificuldade para identificar uma espécie, entre em contato comigo ou algum especialista que conheça.



10 comentários:

  1. Essa aí é muito mais gostosa que a idolatrada serralha-verdadeira (vendida em feiras), pois:
    Não amarga tanto, nao solta leite e cresce em qualquer lugar, mas o povo não conhece, fala que é mato venenoso...

    Deixo uma sugestão para o proximo post: Amaranthus

    ResponderExcluir
  2. Olá Ludson!

    Concordo com você. Eu não sei porque a serralha-verdadeira é mais conhecida. Deve ter alguma questão histórica ai mal explicada.

    Quanto ao Amaranthus, acho que sua sugestão já foi cumprida, talvez antes de você conhecer o blog, hehehe:
    http://vida-nos-bosques.blogspot.com/2011/05/caruru-amaranthus-sp.html

    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Muito bom, Felipe! Eu não conhecia. Posso publicar as informações da espécie lá no meu portal, com os devidos créditos?

    ResponderExcluir
  4. Claro Anderson.

    Não se preocupe com as informações, nesta postagem são todas do livro do Harri Lorenzi, com exceção da minha foto com o fungo. Que você pode usar também, claro.

    De todo modo, para mim informação não é propriedade, então fique à vontade! (Referências são mais para credibilidade do que para respeitar direitos autorais, a meu ver).

    E para quem não conhece, o portal do Anderson é:
    http://www.tudosobreplantas.com.br/
    (com grupo no Facebook e login no Twitter)

    ResponderExcluir
  5. ola felipe,gostaria de saber se voçe conhece algum livro ou cartilha que contenha fotos coloridas que fale sobre plantas comestiveis e medicinais não convencionais! obrigado

    ResponderExcluir
  6. Olá Fabiano!
    Eu particularmente recomendo "As Ervas Comestíveis", de Cida Zurlo e Mitzi Brandão. É pequeno, facil de carregar, com fotos (coloridas e P&B), receitas e outras informações. Não é o livro com o maior número de plantas ou maior quantidade de informações, mas traz as principais plantas presentes nas nossas ruas, praças e campos. Ótimo companheiro de viagem. Tem algumas cópias disponíveis em sebos no Estante Virtual.

    ResponderExcluir
  7. Felipe Carvalho

    Minha mãe tem Fibrose Pulmonar. 20% num pulmão e 50% no outro. Me informaram que a serralha é muito bom para fibrose.
    Tenho dúvidas, pois me falaram da Serralha e não da Serralhinha.
    Favor me responder.

    ResponderExcluir
  8. Hmmm... então.
    Em primeiro lugar, há uma diferença sim. Se falaram da "Serralha", acredito que se referiam à outra espécie, também tratada como serralha-verdadeira, que comparando com a serralhinha, tem um porte maior, flores amareladas e maiores, mais amarga ao gosto e que solta um leite. Apesar das duas espécies serem aparentadas, tudo me leva a crer que, quimicamente, as duas espécies são consideravelmente diferentes.

    Em segundo lugar, mesmo que a serralha seja boa para a fibrose pulmonar (embora eu não tenha encontrado referência à esse uso em especial nos meus livros), não deixe de conversar com um médico e seguir as orientações dele, dada a seriedade da questão. Melhor ainda se for um que conhece plantas e pode ajudar a te orientar corretamente no tratamento com serralha. No mais, não deve fazer mal ter um tratamento conjugado entre plantas e remédios convencionais.

    ResponderExcluir
  9. Eu encontrei no sitio do meu irmão, ja higienizei, mas estou com receio de ingerir, devido a relatos que ela é serralha falsa. Pode me orientar, as fotos me dizem que é esta espécie, com flores vermelhas.obrigada.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Thais. Boa pergunta.

      Cuidado nesse jogo de nomes populares. Esta planta dessa postagem eu prefiro usar o nome de "serralhinha", mas alguns chamam mesmo de "falsa-serralha". Neste caso, vale lembrar que a outra planta que alguns chamam de "serralha" ou "serralha-verdadeira", é realmente tóxica (ou seja, a "verdadeira" é ruim e a "falsa" é boa).

      Como tudo isso pode causar muita confusão, NUNCA se oriente apenas pelos nomes populares. Procure realmente reconhecer a planta (com base em fotos e descrições, como as neste blog).

      Como citei no comentário acima, a "serralha-verdadeira", ou a serralha que é tóxica, é fácil de diferenciar da serralhinha: A planta fica facilmente muito maior em porte, possui folhas e flores bem maiores, as flores são AMARELAS ao invés de vermelhas, e, mais importante, se você cortar um pedaço dela, verá uma substância de aspecto "leitoso", branca e viscosa.

      A serralhinha comestível tem flores vermelhas (como na foto) e, além do tamanho menor, não possui nenhuma substância branca saindo de eventuais cortes.

      Espero ter ajudado.

      Excluir