"Dê-me uma selvageria cujo vislumbre nenhuma civilização seja capaz de suportar"

PRIMITIVISMO --- SABERES TRADICIONAIS --- SAÚDE NATURAL --- EVOLUÇÃO HUMANA

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Tanchagem - Plantago sp.

Plantago australis. Fotos de acervo pessoal.

Planta medicinal (eficaz contra infecções nas vias respiratórias superiores, entre muitas outras coisas) e comestível, com folhas ótimas para saladas.


- Nomes científicos: Plantago major L., Plantago lanceolata L., e Plantago australis Lam. As três espécies são muito semelhantes, e possuem mesmos empregos medicinais. Na foto acima, acredito que se trate de Plantago australis.
- Nomes populares: Tanchagem, plantagem, tançagem, sete-nervos, cinco-nervos.
- Família: Plantaginaceae
- Região de origem: Europa, naturalizadas em todo o Brasil.
- Erva pequena, suas folhas ficam dispostas em forma de roseta junto ao solo. As flores são muito pequenas e são formadas em inflorescências eretas, sobre hastes florais.

Estas são outras plantas frequentemente vistas como “mato” ou simplesmente “plantas daninhas”. As tanchagens crescem facilmente em terrenos baldios e lavouras. Sempre foram empregadas como medicinais de grande valor, de muitos usos, inclusive muitos destes atestados pela ciência moderna.

Particularmente, uso as tanchagens como um apoio quando tenho dores de garganta. Elas são extremamente eficazes contra qualquer tipo de infecção nas vias respiratórias superiores (ajudam contra as diversas “ites” de garganta e boca: amigdalite, faringite, traqueíte, gengivite...). Basta fazer o gargarejo de seu chá, 2 a 3 vezes por dia, preparado adicionando-se água fervente à uma xícara (chá) contendo 2 colheres (sopa) de folhas frescas picadas.

Como exemplos de outros usos medicinais da tanchagem, existem registros de seu emprego com sucesso no tratamento de hipertensão, problemas menstruais, bronquite crônica, úlceras pépticas, acnes, conjuntivite e inflamações. Se alguém quiser mais informações sobre algum destes usos, é só pedir.

Além de ser toda esta farmácia viva, estas plantinhas também têm folhas comestíveis, de gosto agradável e
 bem leve, ótimo para saladas. 

Por fim, algo que me intrigou, certo tempo atrás, sobre estas espécies. Plantago australis
 (foto, se minha identificação estiver correta) nunca tinha sido difícil de ver aqui pela região onde moro (Piracicaba – SP). Porém, e isso já faz alguns meses, certo dia sai para procurá-las e não encontrei quase nenhuma. Quando finalmente encontrei um grupo delas, estavam quase todas com aspecto fraco (devoradas por insetos e secando). Pensei se talvez o período de chuvas mais longo deste ano não teria alguma participação nisso. Claro que doenças ou ataques de pragas por outros motivos podem ter ocorrido também.


De todo modo, é só uma hipótese, e no fim das contas eu posso só ter tido azar. Se alguém souber de algo que complemente esta questão, ou se percebeu um sumiço de tanchagens também, favor se pronunciar. Duas semanas atrás, com felicidade, voltei a encontrar tanchagens pelas ruas. Pareciam bem, e posaram para a foto (no alto). Minha traqueíte que se cuide. 

Referência:
Plantas Medicinais no Brasil – Nativas e Exóticas”, Harri Lorenzi e F. J. Abreu Matos. 2ª Edição, Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 2008.

AVISOS GERAIS: Sempre que utilizar plantas comestíveis ou medicinais, certifique-se de colher a planta correta, e que a planta esteja saudável e tenha crescido em bom solo. Ou seja: evite plantas próximas a esgotos, lixo, sujeira, etc. Evite plantas com sinais de muitos ataques por insetos ou fungos. Não recomendo o uso de produtos agroquímicos sobre qualquer planta, sejam plantações ou populações selvagens, para qualquer finalidade. Para plantas medicinais comerciais, o uso de agrotóxicos é proibido. Leia atentamente as dicas, recomendações e receitas. No mundo biológico todo detalhe é importante. Se tiver dificuldade para identificar uma espécie, entre em contato comigo ou algum especialista que conheça (eu não sou capaz de reconhecer qualquer coisa, claro, mas posso indicar alguém que talvez possa resolver seu problema).

3 comentários:

  1. Conheci a Plantago Lanceolata na Holanda e já comi em salada! Muito bom! E ajuda contra herpis nos lábios também!

    ResponderExcluir
  2. Interessante Natasja! Sobre o combate à herpes nos lábios eu não conhecia!

    ResponderExcluir
  3. Ola felipe,curti o post!A uns dias atraz comi folhosas cozidas(serralha, bela Emilia, caruru, taioba, mentruço, beldroega e folha de mandioca),em relação a tanchagem vou procurar conhecer;obrigado por compartilhar se conhecimento!

    ResponderExcluir