"Dê-me uma selvageria cujo vislumbre nenhuma civilização seja capaz de suportar"

PRIMITIVISMO -- SABERES TRADICIONAIS -- SAÚDE NATURAL -- EVOLUÇÃO HUMANA



sábado, 11 de junho de 2011

Jenipapo – Genipa americana

Fonte: Wikipedia

Fotos de acervo pessoal mostrando aspectos da folhagem,
dos frutos, e a árvore toda.
 
Árvore muito bonita, com frutos comestíveis e com os quais se obtêm tinturas naturais para pintar o corpo. A madeira é de boa qualidade para diversos usos, principalmente artesanato. Além de tudo isso, há amplo registro de usos medicinais diversos.


- Nome científico: Genipa americana L.
- Nomes populares: Jenipapo, genipapo, penipapeiro, janapapeiro, janipaba, janipapo, jenipá.
- Família: Rubiaceae
- Região de origem: América do Sul. Na Mata Atlântica também ocorre uma espécie de frutos um pouco diferentes, Genipa infudibuliformis, mas de mesmos usos.
- Árvore de copa estreita, de 8 a 14 metros de altura. Possui tronco liso, folhas e flores grandes. As flores são brancas antes de serem fecundadas, quando adquirem coloração amarelada.


Esta é mais uma espécie com quem tenho grande afeição. Muitas vezes eu e alguns amigos fizemos pinturas com sua tintura, e já usei um pouco de sua madeira para artesanato, com grande sucesso (mesmo sem ter nunca feito nada parecido). A madeira não é nem muito mole e nem muito resistente, o que a faz ótima para ser moldada segundo a inspiração de cada um. Também pode ser usada na construção e na movelaria.


Os frutos são comestíveis, podendo ser apreciados in natura ou na forma de doces e geléias. Já o suco extraído deles pode ser fermentado para o preparo de vinho ou licor. E é com os frutos ainda um pouco verdes que se obtêm a tintura corporal, muito simples de se usar.


Na realidade a tintura é a própria polpa do fruto. Algumas pessoas gostam, entretanto, de bater os frutos no liquidificador, para assim aproveitar a substância corante que também está nas outras partes do fruto (sementes, casca, e endotélio). Depois, basta pegar uma vareta ou algum pincel e pintar o corpo. Mas cuidado, porque antes de oxidar, a tinta é transparente. É muito fácil manchar as mãos e dedos sem perceber, e não adianta esperar a tinta oxidar (quando ela se torna azul – escura) para pintar o corpo, porque ai ela não “pega” tão bem na pele. Para fazer a tintura aparecer bem depois, vale tomar um pouco de sol na região onde você aplicou a tinta, ou ir praticar um esporte – o suor auxilia na oxidação e no “pegamento” da tinta. É uma tatuagem que não causa nenhum dano à pele nem oferece nenhum risco, e que some depois de uns 15 dias (desde que você tome banho normalmente, claro).

Referências:

Plantas Medicinais no Brasil – Nativas e Exóticas”, Harri Lorenzi e F. J. Abreu Matos. 2ª Edição, Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 2008.

AVISO GERAL: Sempre que utilizar plantas comestíveis ou medicinais, certifique-se de colher a planta correta, e que a planta esteja saudável e tenha crescido em bom solo. Ou seja: evite plantas próximas a esgotos, lixo, sujeira, etc. Evite plantas com sinais de muitos ataques por insetos ou fungos. Não recomendo o uso de produtos agroquímicos sobre qualquer planta, sejam em plantações ou populações selvagens, para qualquer finalidade. Para plantas medicinais comerciais, o uso de agrotóxicos é proibido. Leia atentamente as dicas, recomendações e receitas. No mundo biológico todo detalhe é importante.

6 comentários:

  1. Felipe, parabéns pela iniciativa do blog, achei ele ao acaso digitando o nome do biologo valdely..
    Gostaria de trocar umas idéias com voce, sou frugívoro e partilho das mesmas ideias do blog, gostaria de entrar em contato, meu e-mail é ludson@gmail.com.

    ResponderExcluir
  2. Olá Ludson! Seja bem vindo!
    Nos falamos por email então.

    ResponderExcluir
  3. falta me passar o contato rs

    ResponderExcluir
  4. Opa, o primeiro email que mandei não estava correto. Tudo resolvido já.

    ResponderExcluir
  5. Ontem tirei algumas foto do Jenipapo, para ajudar na identificação. O sujeito de branco que aparece de em uma das fotos comentou que os frutos também são afrodisíacos.

    A informação que tenho é que ainda nunca se obteve algum afrodisíaco confirmado pela Ciência, apesar de alguns terem uso popular "bem confirmado". De todo modo, algo no aspecto dos frutos me diz que talvez eles sejam mesmo afrodisíacos... Ou no mínimo seja algo que justifique a crença. Hehehe

    ResponderExcluir
  6. Embora muito útil, os frutos não são nada saborosos. Devem ser processados na forma de doces ou licor (muito açúcar nessa hora! rss).

    ResponderExcluir