"Dê-me uma selvageria cujo vislumbre nenhuma civilização seja capaz de suportar"

PRIMITIVISMO -- SABERES TRADICIONAIS -- SAÚDE NATURAL -- EVOLUÇÃO HUMANA



quinta-feira, 30 de junho de 2016

Sociedade do Medo - Coragem e Confiança (Parte 4)


 
 'A profecia Hindu', Alfred Pearse.

Coragem e confiança: são apenas palavras vazias, ou valores ultrapassados? Ou, como respeito, amor, intimidade, e diálogo, podem representar formas de pensamento e de ação reais? Estamos habituados a tomar decisões baseados em medo, sem sequer perceber que é isso que estamos fazendo. Precisamos mudar nossos “conselheiros interiores” e ouvir linhas de pensamentos que possam equilibrar as tendências do medo. 

sexta-feira, 24 de junho de 2016

Sociedade do Medo - A Prisão Confortável (Parte 3)



 Uma das ilustrações de Gustavo Doré para o poema de Edgar Allan Poe, "O Corvo"

Individualmente, o medo pode nos proteger de muitas coisas – mas há um perigo que fica bem no ponto cego do medo: nós mesmos. Se não mediado pela razão, o medo pode dominar uma pessoa, ou mesmo uma população inteira e sua cultura. Tal cenário é ideal para aqueles que estão no poder: ao invés deles temerem a nós, eles nos fazem temer uns aos outros até a profunda inação.

domingo, 19 de junho de 2016

Sociedade do Medo - A Cultura Apavorada (Parte 2)



"Tenho medo de outras pessoas."
"Mas Mimi, outras pessoas são só como você!"
"É por isso que tenho medo delas!"

Fala-se muito de que vivemos em uma “cultura” que “é” de um ou de outro modo, de acordo com o viés com que cada um se sente mais afetado. Os significados se amontoam, gerando um resultado final que levaria qualquer um de fora a nos perguntar porque sequer saímos das nossas camas de manhã para enfrentar tamanho pesadelo “cultural” cotidiano. Eu considero esse fenômeno, esse amontoado de “terrores”, uma extensão do medo que rege a civilização, que desta vez está se fortalecendo em um novo aspecto de nossas vidas – o aspecto de nossos símbolos, significados, e, principalmente, de relações pessoais. Embora não seja exatamente (ainda) uma “cultura”, chamo esse fenômeno de “Cultura do Medo”. 

terça-feira, 14 de junho de 2016

Sociedade do Medo - Morte e Civilização (Parte 1)



"Que Viene el Coco". 
Crédito da imagem: NaomiRomero

Do que temos medo? O que fazemos diante dele? Podemos viver sem ele?
O medo, estritamente falando, é apenas uma emoção básica que todo animal saudável precisa possuir. Porém, assim como a raiva, o amor, a felicidade, e muitas outras, essa emoção pode sair dos níveis saudáveis e nos cegar. Pode atuar em maior ou menor grau em toda uma sociedade, sua cultura, seu modo de vida, e acabar por conduzir seus rumos.