"Dê-me uma selvageria cujo vislumbre nenhuma civilização seja capaz de suportar"

PRIMITIVISMO -- SABERES TRADICIONAIS -- SAÚDE NATURAL -- EVOLUÇÃO HUMANA



quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Alecrim - Rosmarinus officinalis

(Fonte: Wiki)

(Fonte: http://pat.feldman.com.br - Crianças na Cozinha: Jardim Aromático)


Erva condimentar e medicinal bem conhecida (estimulante o couro cabeludo, cicatrizante, útil no tratamento de hipertensão, distúrbios diversos do sistema digestivo, reumatismo, além de outros usos). Muito cultivada em vasos e pequenas hortas e jardins, também recebe a atenção de diversas religiões.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

O Feitiço do Tempo e a Árvore de Ponta-Cabeça

            Faz muito tempo, a Terra não era como é hoje. Por muito tempo ela foi um lugar muito diferente, que abrigava vidas muito diferentes das nossas. O Grande Espírito, no seio do qual vive nosso planeta e todas as coisas vivas e mortas, tinha outras cores, e sua natureza cobria tudo. Uma natureza muito diferente da que conhecemos. Isso porque muitos dos seres daquela época não existem mais, ou se esconderam muito bem para fugir das mudanças dessas dezenas de milhares de anos. Além de diversos tipos de animais e plantas, que seriam familiares aos que conhecemos hoje, existiam também diversas criaturas mágicas, como unicórnios, grifos e dragões, e uma infinidade de “espíritos”, criaturas sutis que viviam sem corpo físico que se pudesse tocar, mas que se deixavam ver e interagiam com todas as outras com grande vivacidade.
            Claro que não era um mundo perfeito. Era, apenas, um mundo mágico - mais mágico do que hoje. Claro que tinha seus problemas. Todos estes seres eventualmente se desentendiam, e alguns tinham de fugir para não serem devorados por outros. A magia deixava o mundo mais interessante, mais vivo, ainda que não resolvesse todos os problemas.
            Ah! Os problemas! Sim, existiam, mas não como hoje. Aliás, essa é a história de como alguns de nossos problemas começaram – e é a história do maior deles, o problema derradeiro que um dia vai acabar com a paz que ainda nos resta e com todas as nossas vidas. Mas esperamos que esse dia nunca chegue, e por isso recontamos esta história.